Text concordance

Please read the notes on Using the text concordance if you have not already done so.

If you just want to find a cantiga from the first few words of the lyrics, try the Index by incipit instead.

Cantigas processed: 420

Total lines: 21656

Total words: 162243

Total distinct word forms: 10220

Alphabetical index: A | B | C | D | E | F | G | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | X | Z

Word:    Show references: always for single word results never   
1 word formCountReferences
OUTRA191
A:16e Alcalá d' outra vez,
B:23por outra dona, e cuid' a cobrar
1:10per mórt' outra vegada.
1:41Outra razôn quéro contar
4:63cuidando sen outra ren
5:16e ela outrossí a el amava mais que outra ren;
5:101de coita e d' afán e pois mórte, u outra ren non jaz,
8:24tolleu-lla outra vegada | mais tóste ca vos dizemos.
8:31outra vez ena vïóla; | mas o monge lla cuidou
9:107E en ũa nave | con outra gran gente
14:26ben com' a el recodira, | e en outra guisa non.
16:53de mi e da outra dona, a que te mais praz
16:58sérvos que tu amas, e quér' a outra leixar.”
16:61tanto que est' ano rézes por mi outra vez
16:62quanto pola outra antano fuste rezar.”
18:64outra fezéron
18:68a outra leixaría.
25:10ca non ja en outra folía.
32Esta é como Santa María amẽaçou o bispo que descomungou o crérigo que non sabía dizer outra missa senôn a súa.
32:11outra sabía
42:32outra mollér ben quisésse | e que lle fosse leal.
42:42mas per consello do démo | ele d' outra guisa fez,
42:46mas da amiga primeira | outra vez se namorou,
42:58e a Virgen grorïosa | fez-lo outra vez dormir,
45:38por que est' alma é nóssa, | e allur outra buscade.”
47:25Pois en figura d' óme | pareceu-ll' outra vez,
48:9que éra dun cavaleiro; | e d' outra parte de fronte
50:7Nen d' outra maneira nós non viramos Déus,
55:7Esta dona mais amava | d' outra ren Santa María,
63:70que d' outra guisa non podía seer.
66:24toda a outra leenda?
68:9avía con outra, sabor
68:33cona outra, que se deitou
68:37contra vós; mas ja outra vez
71:42e Fill' en nósso córpo | outra vez ben tẽemos.
73:19E fillou na outra mão, com' aprendí,
74:7E ao démo mais feo d' outra ren
75:16mais que outra ren que fosse. | E con tant' éra pagada
78:12mais que outra ren amave Santa María,
78:13assí que outra missa nunca el quería
84Como Santa María resuscitou a mollér do cavaleiro, que se matara porque lle disse o cavaleiro que amava mais outra ca ela; e dizía-lle por Santa María.
84:8con dona menínn' e béla, | que amou mais d' outra ren,
84:12e mais d' outra ren amava | a Virgen espirital;
84:30se el amava mais outra, | que dissésse si ou non.
84:32outra dona mui fremosa | amo muit' e amarei
84:33mais d' outra cousa do mundo | e por séu sempr' andarei.”
84:37grande que, sen outra cousa, | morreu lógo manamán.
86:21menguass' ant' o mar, ca en outra sazôn
103:39Mais d' outra cousa que seja? | Ca, par Déus, gran dereit' é,
104:47A mollér se tornou lógo | à eigreja outra vez,
116:11Aqueste mais d' outra ren
116:50que outra non afume.”
120:9e mais d' outra ren a amarán,
125:33O crérig' outra vegada | de tal guisa os conjurou
128:30ao capelán, “migu' ide | lógo, sen outra tardada,
132:2por outra, fará folía.
132:26que mais d' outra ren amava,
132:91Porquê outra fillar ías
133:17a foi deitar e loar, outra vez
134:52ena outra pérna,
134:59est' outra con segur
138:34téus ollos tan ben come outra sazôn
138:41mais aa outra noite ll' apareceu
138:53e porende as amou mais d' outra ren,
141:14que sól non i fillava null' outra medida.
146:21Pero mui mais que outra ren
149:14que amava mais d' outra | cousa Santa María,
149:44mui mais que nulla outra | que seja creatura.
150:5Non ouv' a outra tal amor mostrado
150:9Preçou-a mais d' outra ren que fezésse,
151:15Outra vez tornou a ela, | e ela lle preguntava | porque a assí leixara.
151:24préto dalí. E por ele | demostrou Santa María | outra maravilla féra;
155:7Ca séu Fillo faz por ela | mais que por null' outra ren;
161:7Est' avía ũa vinna | que mais d' outra ren amava,
165:42e, éu vejo-a bastida | como non vi outra tal?”
167:2valer-ll-á, pero que seja | d' outra lee en creença.
169:25E depois a gran tempo | avẽo outra vez,
170:15Loada deve seer mais d' outra ren (†)Click on the line number reference to view footnotes in context.
178:2ben póde fazer que viva | outra mórta animalla.
180:47Outra Dona seer non podería
181:1Pero que seja a gente | d' outra lei e descreúda, (†)Click on the line number reference to view footnotes in context.
181:23Que éran da outra parte, | atal espant' ên colleron
181:32pero que d' outra lei éran, | a britar séus ẽemigos
185:24el rei, e da outra parte | grand' aver lle prometeu
186:57cabo dela outra, e falar oiu,
187:30“Nembre-vos, amigos, en com' outra vez
193:20a cabo de tercer día | outra nav' i aportava;
193:26e sacárono ên vivo, | en paz e sen outra guérra.
197:13E porque aquel séu fillo | amava mais d' outra ren,
201:36foi comer outra grande | empoçõad' e féra,
203:15A cabo dũa gran péça | outra companna chegou
204:27San Domingu' en outra casa | jazía lonj' e viu ben
205:28e d' outra parte do fógo | que os mui fórte queimava,
206:11El a dona mais fremosa | d' outra ren viu e meteu
206:21a mia mão por aquesto | cona outra cortarei.”
209:6e de a loar mais d' outra ren me praz.
212:27A outra saiu do banno | e catou muit' e non viu
213:8que sobre tod' outra cousa | amava Santa María
214:19Mas o outro non avía | outra requeza sobeja
215:6mas da outra, e fez dano | grande daquela passada.
218:20e ar da outra parte | a sa gran pobridade;
219:5ca a ũa nos dá vida | e a outra perdiçôn.
220:14por outra non mostrará.
224:22con fill' ou filla, entôn | ar vẽo-ll' outra rancura.
224:36con outra companna d' i; | e quando foron na vía,
235:8loava mais d' outra cousa, | e non prendía afán
237:20por aver nen por outra ren, | assí ei aprendudo.
238:20e que o da Virgen fora | chufa, ca non outra ren.
239:43ca outra door lo ferir
240:4e non cuidar nunca en outra ren;
241:9Outra don' a par desta | morava, sa vezinna,
241:11e o fillo da outra | pagou-se da meninna,
241:36da outra part' e fóra | pela pena caía.
242:12e mais d' outra ren fïava | na Virgen esperital;
251:18nïún sabor avía | d' outra cousa veer.
251:23E levava-lle sempre | rósa ou outra fror
251:26que outra ren do mundo | non sabía querer.
256:27E tod' est' assí foi feito; | e lógo, sen outra ren,
261:33per ũa éstr' e per outra passar,
262:24“Salve Reínna” sabía | dizer mellor d' outra ren
265:62lonj' ũa d' outra, ca ajuntadas non.”
269:8quería mais d' outra cousa, | pero non oía ren
269:27E ar diss' outra vegada: | “De bõa mente verrei.”
269:35Ar disse-m' outra vegada, | que se éu pesseverar
272Como Santa María fez en San Joán de Leterán en Roma que se mudasse ũa sa omagen da ũa parede da igreja na outra.
272:6devemos mais d' outra cousa | sempre servir e loar.
272:26desta pared' a est' outra | e s' alá toda mudar,
272:34estar na outra pared'; e | foi-se lóg' agẽollar
277:14ca de tod' outra vïanda | eles non tiínnan ren.
279:8Pois vos Déus fez d' outra cousa mellor
282:18amava mais d' outra cousa | como séu fillo carnal,
283:8ca d' outra guisa non querría
285:2nona tóll' outra cousa | come Santa María.
285:10amar mais d' outra cousa | a Virgen que nos guía.
285:12falava d' outra mollér. E por aquesto a essa
285:21Este, des que viu a monja, quis-lle mellor d' outra ren,
285:59Pois vẽo a outra noite, como na primeira fez
287:8lle quería d' outra cousa | do mund', e a pecador
287:12mais d' outra cousa que fosse, | e avẽo-ll' end' assí
290:6ca Déus non fez outra tal, nen fará.
292:9e sobre tod' outra cousa, | assí com' éu del oí,
296:16e outra cousa nunca | lle quería pedir.
302:7Este con outra gran gente | vẽo i en romaría,
303:14ca si nen a outra cousa. | E porende, sen dultança,
303:18e da outra lle fazía | muit' algu' e muita crïança.
305Como Santa María fez ũa carta de pẽedença que tragía ũa mollér pesar mais en ũa balança que quant' aver poséron na outra
305:30u somos non é costume | de dar d' outra guisa dões.”
305:44se fez lógo, que na outra | non pode pois meter nada
305:47O cambiador fillou outra | balança maior daquela,
308:28como d' anssar un grand' óvo; | a outra, por non chufar,
309:31Outra tal visôn com' esta | o Emperador dormindo
312:51Ambos lógu' en outra noite | dessa casa se mudaron
312:52e foron jazer a outra; | e lógo que se deitaron,
312:56tornou-se lóg' aa outra | u jouvéra de primeiro;
316:25por est' outra que vos digo; | e mandou lóg' un tiçôn
316:41fui de que trobei por outra | dona, ca niũa pról
316:43Que enquant' éu vivo seja, | nunca por outra mollér
318:31E outra lijôn mui fórte | sen esto lle conteceu:
319:15Que aja de ravia ou d' outra doença,
325:19Esta con outra cativa | jazían en prijôn fórte
325:32mais a outra mui sannuda | disse: “Sól non é penssado,
328:54por nós, tragía o preito | d' outra guisa ordinnado.
329:58a déron outra vegada. | E aquel mouro s' erger
331:4que o que en ela cree | non busc' outra meezinna;
344Como Santa María de Tudía fez a ũa cavalgada de crischãos e outra de mouros que maséron ũa noite cabo da sa eigreja e non se viron, por non averen ontr' eles desavẽença.
344:16e d' outra parte crischãos | sa cavalgada fezéron,
348:34e mostrou-lle d' outra parte | a Virgen grandes tesouros
349:6porque do Santí Spírito | lóg' outra vez s' escaenta. (†)Click on the line number reference to view footnotes in context.
352:17porque mui mais d' outra cousa | lle prazería d' avê-lo
352:39E demais fez-ll' outra cousa, | que as penas que mudadas
353:49lle diss' un día: “Contigo | non comerei outra vez,
355:14porque cuidava que fosse | con outra mellor casado.
356:11Ca d' outra cousa neũa | que i ouvésse mestér,
359:7Amava mais d' outra cousa. | E des que chegou alí
362:24por elas Santa María, | como vos dix outra vez;
366:20mais levou outra gran gente | de mui bõos falcõeiros
366:23Que se foi da outra parte | d' Aguadalquivir voando,
366:33e viron da outra parte, | no Exarafe, coitada
369:6que fezo Santa María, | por que mui mais d' outra cousa | sempr' en ela confïedes;
377:11Erdade ou outra cousa | que ele dar-lle podésse,
377:21e que lle déss' outra tóste, | se non, pẽa connosçuda
381:13que mais amar non podía | outra ren; e foi assí
383:41mui longe da outra parte | eno mar, e pois tornou-a
384:13e a outra d' azur éra, | coor mui maravillosa
386:5ca non á outra cibdade | que non semellasse filla, (†)Click on the line number reference to view footnotes in context.
411:17a ũa pera póbres, | a outra retevéron
411:46será de todos bẽes | mais d' outra e preçada.”
411:106ben como se ouvéss' a | casar outra vegada.
418:18de Déus com' aquesta ouve, | nen outra non averá.
419:69vẽo levar-ll' a alma, | que el ja outra vez
420:45e bẽeita a outra | d' arcángeos onrrada